Tratamentos de todos os tipos estão em pauta quando o assunto é pele. Para conseguir e, principalmente, manter uma pele saudável, uma variedade de produtos surge e acaba confundindo a cabeça de muitas mulheres. Dentre as opções de tratamentos faciais, estão o creme e o sérum, que apesar de hidratarem a derme e conterem princípios ativos, ambos apresentam particularidades em sua composição. Entenda melhor a diferença entre eles e saiba como usá-los corretamente em sua pele.

skin Entenda a diferença entre sérum e creme facial

É preciso, antes de tudo, consultar um dermatologista para a análise de sua pele.

Sérum e creme facial se complementam e devem ser usados um após o outro

Nem tão denso quanto um creme e nem tão seco quanto um gel. O sérum, que em latim significa soro, é um fluído altamente concentrado em princípios ativos, como vitaminas e antioxidantes. O produto ajuda a amenizar rugas, remove células mortas e regenera as fibras de colágeno e elastina – proteínas que dão firmeza e elasticidade à pele. Não tão diferente, o creme facial também tem suas particularidades. Além de ser um ótimo aliado na luta contra o envelhecimento, ele hidrata a pele e a protege das intempéries. Contudo, o uso do sérum não descarta a possibilidade de usar os cremes faciais e deve ser aplicado antes do creme pela facilidade de penetração dele. Isso porque um creme com ativos concentrados ficaria muito “pesado” e a adesão ao tratamento seria prejudicada, principalmente em cidades de clima quente e úmido. O creme a ser utilizado por cima pode ser usado para outra indicação, como por exemplo, um sérum para flacidez e, por cima, um creme clareador.

É possível associar a eficácia dos cosméticos faciais pela textura que os definem

Quando se fala em hidratação para a pele, o creme hidratante é a primeira opção de muitas mulheres porque geralmente são produtos mais encorpados. Mas a consistência não está necessariamente ligada a capacidade de hidratação. É possível conseguir uma hidratação potente, utilizando-se ativos que hidratam profundamente, mas com um sensorial leve. O contrário também funciona. Um creme pode conter ativos clareadores, mas também ser muito hidratante por ser um veículo mais cremoso. Nesse caso, o que hidrata é o veículo.

Cremes noturnos são essenciais para o tratamento da pele

Não apenas as recomendáveis oito horas de sono por noite são fundamentais para a beleza. Um bom cuidado com a pele é essencial, principalmente após os 25 anos, quando a pele começa a perder a hidratação natural. Por isso, a noite é um ótimo momento para tratar a derme, pois enquanto dormimos, nossas células se renovam e ficam mais receptivas aos tratamentos, potencializando os efeitos dos cremes e séruns. Mas é importante saber escolher os cosméticos faciais certos. Fatores como o clima, tendência para acne e o tipo de pele são critérios essenciais na hora de comprar o produto. Além disso, os resultados são mais visiveis com um uso constante. Os cremes faciais devem ser aplicados na pele limpa uma ou duas vezes por dia, dependendo da indicação clínica. Pela manhã, o filtro solar ou CC Cream devem ser usados por cima. Já à noite, também devem ser usados sobre a pele previamente limpa.

Peles oleosas apresentam restrições na hora de escolher o creme facial

Na hora de escolher o cosmético certo para se usar no rosto, é importante levar em consideração o seu tipo de pele. Quem tem pele oleosa, por exemplo, sabe o drama que é controlar o excesso de brilho. Geralmente, esse tipo de pele tem uma maior espessura, apresenta poros dilatados e produz muito sebo. Embora qualquer pessoa possa usar o sérum, as peles oleosas e acnéicas apresentam restrições. É necessário tratar a acne em paralelo. Para quem tem essas características e vive em climas quentes e úmidos, é recomendável o sérum aquoso; enquanto em peles secas, o sérum cremoso. Já para pessoas com peles secas, sensibilizadas e que vivem em climas mais secos, o ideal é usar o creme.